PROFISSIONAL DE RECREAÇÃO: RECREADOR, BRINQUEDISTA, PEDAGOGO LÚDICO OU LUDOTECÁRIO? 1 DENOMINAÇÃO USA PARA  PROFISSIONAL DE RECREAÇÃO São varias as denominações utilizadas para designar o profissional desta área, Negrine, A., (2001, p.49), utiliza a palavra recreador para a pessoa que tem a função de desenvolver programas lúdicos, mas também fala que outras denominações podem ser utilizadas , como recreacionista, pedagogo lúdico ou brinquedista. Está ultima vem tomando corpo nos últimos anos, já que a Associação Gaúcha de Brinquedotecas – AGAB – vem se esforçando para criar no estado, curso de especialização para a formação de brinquedistas. Esse termo é equivalente a “ludotecários” utilizado na Espanha e em Portugual.Já os autores Cavallari, A. R.; Zacharias, V. (2000, p.18) comenta que todo o profissional envolvido com recreação é chamado de recreacionista. Porém, em situações diferentes, os recreacionistas assumem papéis diferentes, de acordo com as necessidades do momento: Animadores, Supervisores ou Técnicos em Recreação. O Animador é aquele que tem  o contato direto com o publico participante e com as atividades lúdicas desenvolvidas. O Supervisor é aquele que tem uma equipe de animadores sob seu controle e se torna elo de ligação entre os componentes da equipe e desta com o empreendedor.O Técnico em Recreação deve entender em pouco sobre comportamento humano, saber o que as pessoas esperam para a sua recreação, tendo visão organizacional e de planejamento e projetos, na intenção de ter uma visão de futuro a médio e longo prazo.

Marcellino, N. C. (1995, p.24) denomina o profissional de recreação como militante cultural, foi escolhida por ele por algumas razões. Uma delas, de ordem estritamente metodológica, diz a respeito ao fato de julgarmos necessária uma designação abrangente, ainda que excessivamente genérica, capaz de acolher ao mesmo tempo não apenas os diferentes profissionais do tempo livre, como também aqueles que se dedicam informal o voluntariamente à ação cultural, sem fazer disso um emprego ou uma profissão. Nesse sentido, militante pareceu para o autor o mais apropriado que animador, monitor, ou intrutor, que são categorias mais imediatas de uma ação específica e localizada, aparecendo frequentemente associadas a algum tipo de organização. Ainda que animador ou agente cultural tenham relativa abrangência, ele afirma que é mais fácil subordiná-los a uma designação ampla como militante que o inverso. O autor define militante cultural, como sendo todo aquele que realiza ações no plano da cultura, no tempo livre dos indivíduos, seja para estimulá-los à produção de bens culturais, seja para ampliar a sua participação na apropriação desses bens, tendo como motivação básica tanto o prazer de dedicar-se a algo com que se indentifica fortemente, quanto a valores pessoais que conferem à cultura papel importante para o desenvolvimento das pessoas, dos grupos, das comunidades e da sociedade em geral.   

2 AS OPÇÕES DE FORMAÇÃO

  

            Atualmente na recreação existem profissionais de diversas áreas atuando como recreador.  Como até hoje não existe uma formação específica para esta profissão, profissionais de Educação Física, Turismo, Pedagogia, Psicologia, Hotelaria, atuam nesta área, sem contar aqueles que nem formação possuem.

 Considerando os cursos de formação existentes no momento, no Brasil, tudo indica que os profissionais de Educação Física, principalmente aqueles oriundos cursos de licenciatura, apresentam perfil compatível para realizarem esse tipo de serviço. Geralmente, o curso de Educação Física além de se preocupar com a formação pedagógica do egressos, tem currículos fartos em termos de atividades práticas, como desporto, danças, ginástica e atividades recreativas de forma geral. (NEGRINE, A. , 2001,p.52)

              Camargo, L. O. de L., (1998, p.140) comenta que embora, as faculdades de Educação Física, Turismo, de Pedagogia, de serviço social vêm fornecendo estagiários e profissionais para a área, os currículos dessas escolas ainda é pequeno mas que aos poucos estão sendo incrementados.            O esforço por uma formação específica para esta área teve início somente no últimos anos. Graças ao esforço do Senac, a profissão de animador cultural e recreativo já foi chancelada pelo Conselho Estadual de Educação de São Paulo, e suas unidades já começaram a promover cursos técnicos na área.              

               

3 ÁREAS DE ATUAÇÃO DESTE PROFISSIONAL

                            As áreas de atuação  é muito diversificada, podendo atuar nas Escolas, Hotéis, Acampamentos, Acantonamento, DayCamp, Festas, Clubes, Empresas, Academias Desportivas, Navios, Onibus, Natureza.             

4 O PERFIL DO PROFISSIONAL DE RECREAÇÃO

             Negrine, A., (2001, p.53),  acredita que para exercer a função de recreador, a pessoa necessita ter desenvolvido algumas habilidades que traduzem o perfil do profissional, como: facilidade de estabelecer relações interpessoais; respeito à opinião dos outros; capacidade de tomar iniciativa; capacidade de ser mediador e ter espírito criativo.             Já Camargo, L. O. de L. (1998, p.141) cita algumas outras características entre elas estão: a polivalência cultural, com conhecimentos em diferentes campos de atuação e técnicas de trabalho, a capacidade de montar e coordenar equipes com profissionais de variada formação e origem. 5 O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES LÚDICAS             O recreador é um grande desenvolvedor de atividades lúdicas, assim quis inserir em meu trabalho um pouco sobre o tipo de atividade que esse profissional desenvolve.A palavra “lúdico” vem do latim “ludus”, que significa brincar. Brincar significa divertir-se infantilmente, é entretenimento, passatempo ( SANTOS, S.M.P.dos, 1997, p.9).            Neste brincar estão incluídos jogos, brinquedos e divertimentos conhecidos pelas crianças, e estes também tem a função de educar ao passo que ela quando brinca com a realidade constrói um universo particular, levando-a a aprendizagem, ao conhecimento e compreensão do mundo.            Para Freire, J.B. (2001), a criança é uma especialista em brinquedos, e este tem um importante papel que é o de aperfeiçoar o acervo motor dando-lhe no futuro condições de cumprir exigências solicitadas pela escola.            A atividade lúdica na pré-escola estimula a criatividade, proporcionando prazer, descontração e autoconfiança.            Segundo Santos, S.M.P dos, (1997, p.20), as atividade lúdicas possibilitam o desenvolvimento integral da criança, já que através destas atividades a criança se desenvolve afetivamente, convive socialmente e opera mentalmente.

About these ads