Equipamentos de lazer 

Os equipamentos de lazer se dividem em duas nomenclaturas ou classificação que são: específico e não-específico (TURINI, 2001; MARCELLINO, 1996).

 Segundo as características físicas dos equipamentos, seu oferecimento e sua demanda, e adotando a nomenclatura e a classificação empregadas por Camargo (1985), estes aparecem como específicos e não-específicos aos objetivos a que se destinam, geralmente sob comando de alguma instituição, organização ou grupo social. As organizações que oferecem o equipamento podem ser públicas, privadas ou mistas. (TURINI, 2001, p.113). 

Segundo Marcellino (1996), os espaços especialmente concebidos para a prática das várias atividades de lazer. São chamados de equipamentos específicos.

Um teatro e um cinema são exemplos de micro equipamentos especializados em lazer, denominação que advém das suas dimensões, quase sempre reduzidas, e pelo fato de atenderem, de forma prioritária, a um dos conteúdos culturais do lazer. 

Já um centro comunitário, ou cultural e esportivo, como são chamados alguns equipamentos, pelos mesmos critérios de tamanho e atendimento único ou diversificado aos interesses no lazer, recebem a denominação de equipamento médio.

Além desses, segundo Camargo (1986) podem ser classificados pelo porte e pela finalidade, os macros equipamentos polivalentes – grandes parques obrigando construções variadas, por exemplo, os equipamentos de turismo social, urbanos e não urbano caso dos camping, colônias de férias, etc.

Já Turini (2001), visualiza as formar existentes dos equipamentos quanto à sua dimensão física de espaço e suas finalidades programáticas, como segue:

Equipamentos especializados: são equipamentos destinados a atender uma programação especializada, ou uma faixa de interesses culturais específicos. Um exemplo comum existente no mercado atual é a academia de ginástica, tem sua programação voltada para um segmento dos interesses socioculturais da clientela. Estruturada sobre modalidade específica de animação; como podemos citar os parques aquáticos, concebidos sobre as possibilidades de animação com o elemento água, localização em áreas urbanas, de grande concentração populacional, e geralmente com características comerciais, seu atendimento durante os dias da semana, período integral (manhã, tarde e noite), público delimitado pelo interesse e pela localização do equipamento, já a composição compõe geralmente de uma quantidade limitada de instalações para atividades. Exemplos de equipamentos especializados: teatros, auditórios, cinemas, academias de ginástica, centro esportivos voltados para um interesse específico, bibliotecas, campos de golfe.

Equipamentos polivalentes: esses se subdividem em dois, os de dimensões e capacidade médias e equipamentos polivalentes grandes. O conceito de dimensões e capacidade média são equipamentos destinados a receber uma programação diversificada, ou para atender variados interesses socioculturais.

 Os equipamentos polivalentes médios possuem dimensões e capacidade para receber até 2500 pessoas/dia, nas atividades permanentes, e até 5000 pessoas simultaneamente, em eventos especiais ou finais de semana. Sua programação é com atividades permanentes, temporárias e eventuais diversificadas segundo o público e interesses culturais. A localização deste equipamento é preferencialmente em áreas urbanas próximas ao centro da cidade, ou em regiões comerciais. O atendimento acontece durante os dias da semana, período integral, e com ênfase nos fins de semana, sua composição tem varias instalações para atividades, diversificadas por interesses socioculturais, por público e por conteúdos, de dimensões e capacidade entre média e grande, conforme cada caso. Alguns exemplos de equipamentos polivalentes de dimensões e capacidade médias são: centros culturais em geral, quando associam instalações diversificadas – teatro, áreas de exposições, biblioteca, centro poliesportivos em geral, parques urbanos.

Agora o conceito de equipamentos polivalentes grandes é todo equipamento destinado a atendimento em massa, em uma programação diversificada, abrangendo variados interesses socioculturais, com instalação de grandes dimensões e grande capacidade. Sua programação é permanente, temporária e de eventos, amplamente diversificada segundo o público e interesses. Localizados preferencialmente em região importante de um estado ou de uma grande cidade, porém pode também se localizar em regiões da periferia das cidades. Devido às dimensões do terreno necessário. O atendimento em geral acontece nos fins de semana, principalmente em grandes eventos. Recebe público de toda uma cidade, ou de uma região do estado.A composição varia conforme interesse socioculturais, conteúdos e públicos, (regional, estadual, ou nacional). Alguns exemplos são, parques em escala regional, estadual ou nacional, parques temáticos, parques ecológicos, reservas ecológicas, grandes parques aquáticos com instalações diversificadas, grandes parques urbanos, clubes de campo.

Equipamentos de Turismo: São equipamentos destinados a programações turísticas em geral, associando hospedes e atividades recreativas. A programação vai além das programações típicas de hotelaria (recepção, hospedagem e alimentação). Sua localização se dá preferencialmente em áreas de interesse turístico, pelas características geográfico-naturais e ou histórico-culturais. O atendimento em geral acontece em temporadas de férias, em feriados e nos fins de semana, ou nos períodos de pacotes turísticos programados, o público genericamente o mais amplo, pois pode abranger do estado, do país até do exterior. Os equipamentos de turismo são compostos de instalações para hospedagem, para alimentação e instalações para atividades de lazer, de preferência diversificadas. Alguns exemplos desse tipo de equipamento são: hotéis de lazer, resort, colônias de férias, grandes parques em escala regional, estadual e nacional, quando têm unidade de hospedagem, camping, acampamentos, pousadas em locais retirados, pousadas em cidades turísticas.

Existe também os equipamentos não-específicos, segundo Marcellino (1996) e Turini (2001), significa um ambiente que foi planejado e construído para uma determinada finalidade específica, que não o lazer, mas que pode ter a sua apropriação ampliada para outras atividades, sendo entendido então um espaço possível de fruição do lazer em momentos do tempo de nossa existência pessoal e de nossas interações sociais. Alguns exemplos são a rua, a casa, o bar, a escola e até mesmo o local de trabalho. No trabalho várias instalações podem ser utilizadas como equipamentos de lazer, dependendo da maneira como o local é administrado fora do horário de produção, nos tempos de pausa obrigatórias, o horário de termino de expediente e nos intervalos de turnos.

   Hotéis  Classificações de Hotéis: 

Segundo Andrade (2001), os tipos de hotéis podem ser definidos:

·        Conforme o padrão e as características das suas instalações, ou seja, o grau de conforto, a qualidade dos serviços e os preços. A Embratur e a ABIH (Associação Brasileira da Industria de Hotéis) classificam os hotéis dessa maneira. Esse tipo de classificação pretende informar ao público os níveis de conforto, os preços e os serviços oferecidos; orientar investidores e empresários; constituir instrumento de política de incentivo às atividades turísticas, etc.

·        Conforme sua localização: hotéis de cidade, de praia, de montanha, de aeroporto, etc.

·        Conforme sua destinação: hotéis de turismo, negócios, lazer, cassino, convenções, econômicos, etc.